Wednesday, December 03, 2008

descer sob a areia

20081108_ilh1

Aveiro, 20081108

4 comments:

Augusta said...

Lembro, frente a esta imagem que me é suave ao olhar, me acaricia a visão e os sentidos, que no minimal entre o negro e o acinzentado, sem que nele chegue o branco puro, vejo parte de mim, de um farrapo enegrecido pelo tempo, de um caminho que foi concluído sem que ele mesmo se tenha continuado, foi um passo em frente, seguido de um atrás , um rodopio de andar, num passo que fica sempre ali, sem caminho nem lembrança. Incompleto, sem que tenha antes ou depois, precedentes ou continuidade. Não existe, mas contudo existe com a maior certeza que é o nada transfigurado em palavras metediças de tanto silêncio ali prontamente estagnado!

Anonymous said...

photo-graphy: the writing of light...
cida

di said...

gosto muitíssimo.

kiasma said...

obrigado di!